Anão Diplomático! Somos?

Anão Diplomático! Somos?

0 717

Não vai longe o dia em que um embaixador israelense chamou o Brasil de “anão diplomático”.

A crítica deu-se pela defesa intransigente dos povos que travavam guerra contra Israel, agora, no último conflito, na chamada “Faixa de Gaza”.

Os árabes, cansados de ver os israelitas a lhes invadir pouco a pouco seu território e os judeus, de terem que viver olhando para as nuvens para identificar alguma possível bomba a caminho. Partiram para a guerra.
Todo mundo sabe que o atual governo no Brasil, tem uma simpatia pelos movimentos revoltados nas areias do Oriente. Que, por outro lado, mantêm uma certa antipatia por todos àqueles que se digam amigos ou parceiros dos americanos. Esta tendência tem se fortalecido não só no Brasil, mas em praticamente toda a América Latina.
Daí que quando os auto-declarado Estado Islâmico(EI), começaram a degolar e a metralhar inocentes, simplesmente pelo fato de serem de outra religião ou negarem-se a renunciar a ela em favor do islamismo conforme o exigido pelo povo do EI, o governo brasileiro continuou com sua política do apaziguamento, do deixa disso, do ‘continuem a degolar inocentes até que um dia se sintam confortáveis e decididos a virem sentar em uma mesa, na ONU, para negociarmos as suas condições, companheiros!”

Pois é.
Dizer que o pessoal da EI tem ou não razão, é para quem entende.
Assim, como degolara pessoas, inocentes, é para quem entende e tem características especiais, como a de criminoso, sádico, louco ou coisa parecida.
Agora, querer que um país fique vendo seus filhos sendo degolados, afora seus méritos ou não, sem nada fazer, parece exigir que tenha ‘sangue de barata’.
Dilma, outra vez, pisou na bola e, muito, mas muito feio. Rebaixa o que pensa o nosso povo e não o representa bem. Ao menos neste caso ou de parecido. Basta lembrar a quantidade de inocentes que o
EI detonou os miolos, só pelo fato de não professarem da mesma opinião religiosa que eles.
Será que a presidente brasileira iria querer algo parecido ou admitiria algo assim para o nosso país, o nosso povo?

Alguém entende?
Ou, será que o ódio pelos americanos, pelos ‘capitalistas’ vai tão alto que o Putin estaria de volta, a visitar o Brasil e nos ensinar como esfacelar outro país, mesmo que fosse vizinho e pacífico?

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta