Autores Postado porLiberdade - O Jornal

Liberdade - O Jornal

1178 POST 0 COMENTÁRIOS

0 7

O governo federal liberou considerável cifra, via bancos de fomento, para prefeituras poderem contratar empréstimos e executar obras de infra estrutura.
Calçamento de ruas, revitalização, logradouros públicos, …. estão recebendo investimentos que serão pagos depois pela população, mas que por hora tem dado alento a economia pública.
Também a área de habitação está a  um passo também, para dar inicio às atividades. O mais provável é que a partir do segundo semestre do ano 2020 – ano eleitoral -, o governo federal faça a alegria dos prefeitos, barganhando com eles algum apoio.

 

0 19

Slogam usado durante á ditadura militar, associava-se a uma política ufanista onde as grandiosidades do país, justificavam o fato de que “quem amasse o país (Brasil), teriam tantos e claros motivos que em assim não se portando, seria melhor então que o deixasse e fosse morar em (no exterior) outro lugar”.

, “Brasil: Ame-o”, e “Quem não vive para servir ao Brasil, não serve para viver no Brasil”.

Embora não se questione aqui os motivos para a implantação e uma ditadura, seja militar, seja civil – não é esse o nosso propósito -, há de se entender que nem mesmo quem a eventualmente implante, não seja seu defensor (de uma ditadura). Até pelo que representa para o povo a implantação de um regime do tipo, imposto via utilização do Estado nacional. É terrível.

Também é claro, para os que passam ao largo, pode que esta se desenvolva de forma até imperceptível.

No mundo houve ditaduras da direita e ditaduras da esquerda, todas terríveis e praticamente todas, sanguinárias. Teve e tem ditaduras disfarçadas…

Na Itália, durante o governo Mussoulini, àquele que acabou enforcado pelo seu próprio povo, teve a ditadura onde o regime fascista foi implementado.

Na Alemanha, por exemplo, o regime nazista. Na Rússia, o regime comunista e assim vai.

No Brasil, durante a ditadura militar, nos tempos mais tenebrosos, do governo Ernesto Gaisel, o slogam do Brasil: ame-o ou deixe-o, estava em seu pleno apogeu.

Era o governo do Brasil, o chefe máximo do Executivo determinando ao seu povo o seu comportamento, como uma ordem. A democracia agonizava…

Na ditadura mais sanguinária que se teve notícia, este tipo de slogam se avolumou, mas de uma certa forma muito mais espraiada: Não tinha um slogam específico, que não o “Hey Hitler”, mas uma nova determinação cultural onde quem não acordasse com o novo líder – Adolfo -, deveria “sumir do mapa da Alemanha”.

Assim, os estrangeiros não simpatizantes com a causa do novo regime; os hetero, os judeus, os religiosos fossem da religião que fossem, os poloneses, os austríacos que não aceitassem o jugo do regime, … enfim, seriam tratados como um “nada”, algo inexistente e precisariam, segundo os nazistas, serem eliminados se fossem o caso ou, que deixassem o país se ainda pudessem.

Este tipo de visão totalitária, imposto por poder político que se utiliza do poderio do poder público, ainda está muito vivo entre nós.

Escondido nas periferias do país, o totalitarismo onde todos devam pensar de uma mesma forma, com o objetivo de endeusar, perpetuar o interesse de algum novo maluco, é uma realidade muito próxima. Ainda mais onde os resquícios daquelas culturas, felizmente suprimidas, reprimidas à bala mesmo a custa de tanto sofrimento humano, ainda teima em se levantar.

Seja esfera de poder que for, a democracia precisa ser defendida, ser cultuada e ensinada seus valores às novas gerações. Para tal, a mídia livre e forte é tripé extremamente fundamental e deve ser apoiada por todo o governo e povo que se diga defensor do regime democrático. É ela que ajuda aos demais poderes, as entidades de defesa do regime a se sustentar, a ser respeitado, de não ser substituído por interesses de prováveis loucos criminosos ou, menos, líderes que por vezes motivados a estancar uma situação de caos, tenham que impor, temporariamente, um regime de exceção, até uma ditadura, para salvar uma nação e até o mundo, de algo bem pior.

O direito à manifestação de pensamento; de expressão seja do que for desde que não minimize a honra de alguém ou traga prejuízos injustificados à outro, é cultura que precisa ser exercitada, inclusive nas famílias, nas salas de aulas, no poder político de cada comunidade. Afinal, amando ou não o Brasil; dizendo ou não que o ama, é direito de todo brasileiro viver em sua terra e fazer dela e dela o que bem lhe aprouver, desde que não interfira prejudicialmente nos direitos de seus semelhantes, desde que não desrespeite à lei democraticamente estabelecida por seus representantes legítimos.

0 18

Abaixo, o teor do rápido discurso do ex-presidente norte-americano, Barack Obama quando paraninfou uma turma de estudantes em uma Universidade de Nova Jersey – EUA.
“Se vocês estivessem os discursos políticos atuais, vocês poderiam se perguntar: “De onde vem esta pressão de anti-intelectualismo?”. Então, deixe-me ser o mais claro que puder: Na política e na vida, a ignorância não é uma virtude. Não é legal não saber do que você está falando.
Isso não é sustentar que é verdade ou dizer que parece que é. Isso não é desafiar o politicamente correto. Isso é somente saber o que você está falando.
Qualidades como qualidade, compaixão, honestidade e trabalho duro, frequentemente importam mais do que competência técnica ou know how.
Mas quando nossos líderes expressam um desdém por fatos, quando eles não são responsabilizados, por repetirem falsidades e só inventarem coisas, enquanto que verdadeiros especialistas são julgados como elitistas, então temos umproblema.
Sabem é interessante que se nós ficamos doentes, queremos ter a certeza que os médicos foram de fato para a faculdade de medicina, que eles sabem de fato o que estão falando; se entramos em um avião, dissermos o que realmente queremos: que o piloto saiba de fato pilotar a aeronave.
E, ainda assim, em nossas vidas públicas, rapidamente pensamos: Eu não quero alguém que já fez isso antes..
A rejeição de fatos, a rejeição da razão e da ciência, ESSE É O CAMINHO PARA O DECLÍNIO.
Me chama a atenção para uma frase, de Carl Segan, que se graduou aqui em Nova Jersey. Ele disse: “Podemos julgar nosso progresso pela coragem de nossos questionamentos e pela profundidade de nossas respostas. Nossa vontade de abraçar o que é verdadeiro, AO INVÉS DE ABRAÇAR ÀQUILO QUE NOS FAZ SENTIR BEM”.

0 20

Sempre em honra a nosso Deus
Esta é mais uma missão
Abraçamos a tradição
E nos entregamos com fé
Aqui no meu Caibaté
Que me adotou como filho
Eu repito em estribilho
Gratidão pela confiança
Porque a generosa lembrança
Me enaltece em tanto brilho.

Bendizemos os três mártires
Sem apegos a minúcias
Salve a nossa SANTA LÚCIA
Na Claridade de caminhos
O tempo é o nosso alinho
E ele é o senhor da razão
Tudo é entregue ao coração
Desconhecemos outra forma
E adotamos como norma
Força, Luz e Proteção.

Saudamos as autoridades
Sem forma protocolar
Porque vamos nos irmanar
Na igualdade da empreitada
Sozinhos, não somos nada
E eu peço a Deus ombros fortes
Para aguentar o suporte
E nesta cadeia de união
Fazemos elos das mãos
Na base que nos conforte.

Nós vivemos o presente
Embasados no passado
Na lembrança de legados
Concretos de corpo e alma
E é isso que nos acalma
E guiando, nos energiza
Porque o chão que a gente pisa
É Bento por natureza
E é daqui que vem a certeza
De que um sonho se realiza.

Conclamo darmos as mãos
Desde o CAPATAZ GERAL
A união é primordial
E é assim que se faz
E junto ao SOTA CAPATAZ
E o AGREGADO FIEL
Todos cumprindo um papel
E é isso que nos iguala
Quando o AGREGADO DAS FALAS
E perfeito igual cinzel.

As INVERNADAS ARTÍSTICAS
ESPORTE E CULTURAL
São artes de cunho social
Nesta terra missioneira
Mais a INVERNADA CAMPEIRA
E a INVERNADA DO CHURRASCO
Ninguém aqui fará fiasco
Todos somos solidários
Seguimos o itinerário
Em terra firme e penhasco.

Ressaltamos os PATRÕES DE HONRA
E o CONSELHO DE VAQUEANOS
Nós não somos soberanos
Mas sim, eternos aprendizes
E aqui as bases, as raízes
Sempre serão consultadas
Porque são vozes abalizadas
DO SENTINELAS DO CAARÓ
E apagam qualquer pó
De maneira mais respeitada.

E felizes relembramos
SEIS DE AGOSTO DE MIL NOVECENTOS E SESSENTA E SETE.
A história hoje se repete
Já se vão CINQUENTA E DOIS ANOS
Recordamos os mesmos planos
Aonde só existia um terreno
Mas ninguém pensava pequeno
E o “presente” assim se expande
Ao ver o SENTINELA DO RIO GRANDE
Com um novo projeto bueno.

O SENTINELA DO CAARÓ
É o guardião Riograndense da Cultura
E a nossa essência é tãopura
Mas nobre, em ser Sentinela
Poruqe aqui se revela
Arte, misticismo e história.
Uma fé em honra e glória
Orgulho destas Missões
Que enriquece gerações
Em anos luz de trajetórias.

E ali na SERRINHA DO URUBUCARÚ
Viveu o meu bisavô ORTÊNCIO
Que no seu eterno silêncio
Percorre nas minhas veias
E este sangue me rodeia
Porque aqui estou enraizado
É um pedado do passado
Que me energiza para a frente
Sendo humano e transparente
Sempre que for precisado.

Parabéns a todos os Pais
Nesta data consagrada
O Pai das mãos calejadas
E o Pai que usa a tecnologia
É o mesmo abrigo da cria
Porque ser Pai é um esteio
É o Sinuelo de um rodeio
Que ensina abrindo caminhos
E asa vezes a mãe, “é um Pai sozinho”
Apoiada em nosso meio.

Finalisando a mensagem
Eu e a Cláudia agradecemos
Por tudo o que aqui vivemos
O SENTINELA é uma família
Uma constelação que brilha
Aonde o respeito impera
O presente, e outras eras
São notas de uma harmonia
Cadenciadas dia a dia
Que o tempo não destempera.

0 23

Numa situação dessas, muita gente não sabe o que fazer. Geralmente somos pegos de surpresa e as pessoas que poderiam prestar socorro, não sabem o que fazer.

Entenda as causas dos desmaios
O desmaio é uma defesa do organismo, que, assim como um gerador sobrecarregado, desliga-se repentinamente. É uma reação imediata do nosso corpo quando falta oxigênio no cérebro. No caso da Jaqueline, o desmaio foi causado pelo calor. Ocorre então uma queda da pressão, pois a temperatura corporal interna está muito alta e o corpo precisa perder calor rápido.
Todas as pessoas em situação de extremo estresse físico ou emocional podem desmaiar. Na maioria das vezes, eles não indicam doenças graves. Entretanto, pode indicar um problema de saúde sério.
É importante descobrir a causa do desmaio. Existem várias causas, desde simples até grave. Baixa de glicose no sangue, problemas psicológicos, psiquiátricos, arritmias cardíacas. Sempre que a pessoa tem um desmaio, ela deve procurar um médico.

Sintomas antes do desmaio:
Antes do desmaio, a pessoa pode começar a sentir sudorese, palidez, calor, náusea, visão turva e palpitações. Com estes sintomas, é preciso se deitar imediatamente, porque o desmaio é rápido e na queda a pessoa pode se machucar. “É preciso segurar, amparar a pessoa que está desmaiando”, explica a pediatra e consultora do Bem Estar Ana Escobar.
Para melhorar o fluxo sanguíneo no cérebro, é preciso levantar as duas pernas para cima. Naturalmente o fluxo de sangue irá voltar ao normal e a pessoa irá acordar. As pessoas podem se sentir confusas ao acordar, mas costumam se lembrar do ocorrido.

Após o desmaio
Depois que a pessoa voltar do desmaio, deixe-a calma e faça algumas perguntas a respeito da alimentação.
Falta de glicose pode ser uma das causas. Então, comer algo mais açucarado pode ajudar no controle.
O sal, depois de um tempo, pode ajudar a elevar a pressão sanguínea, se a pessoa estiver ainda com a pressão muito baixa.
Sempre ofereça água.

Tem como prevenir o desmaio?
Algumas atitudes podem ajudar a evitar o desmaio. São elas:
Evitar ficar em pé por períodos longos
Beber bastante água, pois ela ajuda a aumentar a pressão arterial
Evitar álcool
Evitar ambientes quentes ou fechados
Movimentar as pernas e panturrilhas enquanto estiver em pé
Se começar a sentir algo estranho, deitar com as pernas elevadas
Se sentir que vai desmaiar, deitar ou ficar perto do chão para não se machucar na queda

0 24

Sim, São Miguel das Missões recebeu, há algum tempo atrás, a visita de dois ex-presidentes da República Federativa do Brasil: Dilma Roussef e Lula da Silva.

Também foi a única vez que uma mulher presidente, visitara o município. Até porque fora a única até então a ser eleita como tal.
Lula, já havia visitado antes.
Na incrível foto do Liberdade – O Jornal, você pode ver o povo ao fundo, em uma avenida separada pela tela que circunda o Sitio Arqueológico, de onde gritavam um “fora, Lula!”. Época em que o ex presidente contava as horas antes de acontecer sua prisão, fruto de investigação na operação Lava Jato, da Polícia Federal.

0 28

Ai, a comunidade do Urubucarú em uma de suas tentativas de adentrar no pequeno salão comunitário da comunidade em evento noturno.
Urubucarú ou, Cavalo-Corvo é uma pequena comunidade que aguarda por longos anos, a promessa de ver ampliado o prédio hoje ocupado por ratos e formigas, entre outros bichos no interior de São Miguel das Missões/ RS.

O evento aí contrasta com outras comunidades onde pavilhões se somam esperando gente para ocupar parte dos espaços. Dizem que estas teriam aproximação com interesses políticos, mas a verdade é que ou não se sabe ou não que ousa dizer.

0 28

Ai, na imagem, o dono do Borraio Minhas Origens, Jânio Guasso e, ao lado das gurias, o dono do Ponto de Memória, Valter Braga, conhecido como Coelho.
Ambos são proprietário de pontos turísticos na velha e boa terra de São Miguel e merecem não só a honra de sua visita, mas de todo o prestígio possível a estes incansáveis lutadores em prol de nossa cultura.

0 26

Ai, foto do povo de São Miguel, mostrando ao mundo o quanto ele é um povo bonito.
Claro, nada que se diga: “ahh, são lindos! ou, ahh, são uns bichos!”, pelo contrário, é um povo mesclado, nem lindos, nem de matar de susto. Somos um povo em construção. Ou seja, já fomos piores. Agora, somos melhores e foi-se o tempo em que, quando um vivente nascia, o médico dizia à mãe: Se não latir em três dias, pode criar que deve ser gente!

Então….?