Entretenimento

0 53

De corvo, na Vitória,à João de Barro, no Pórtico em São Miguel, Tiro e Tiarajú, os dois repórteres-em-espírito do Liberdade, vão peneirando quem passa pra estas bandas.

E por isso mesmo, que os serviços de seus dois repórteres-em-espírito, Tiro Fijo, àquele que desencarnou com a metralha de um tucano nas selvas da Colômbia e, o santo, aqui das Missões e que toda noite se dá ao serviço de gritar aí, na Coxilha Santa, o nome do Liberdade.

Há até quem diga que eles não existem – porque não são vistos – e que se de fato existissem, saberiam dizer sobre o nosso futuro. Melhor, sobre o futuro de cada um.

Como todos os seres um pouco mais evoluídos, explicam, falam por parábolas e, se disfarçam como só espíritos poderiam para não dar na cara que estão sempre à espreita, louquinho para atazanar vadios.

Ainda como se não bastasse, de tanta dúvida, tantos comentários insinuando que Tiro e seu colega de puxar na mesma canga, Sepé, hoje são lendas, estão desencarnados; que esperam a vinda do Senhor para se revelar outra vez, os dois continuam aí a revelar aos leitores do Liberdade fatos como foi, inclusive com a participação desastrosa de um deles, lá no Vaticano, mudando os rumos da história e tirando do cerro-larguense a teta de papa e que acabou beneficiando justo um Hermano, aí também perto, no fim do mundo.

Só aquele fato quase nos rendeu o pescoço. Sim, nós, porque aqui no Liberdade, como pra cortar só tem um, imaginem… O deles é vento, não dão, somem… virtude de quem já é espírito.

Quem pensa de onde o Liberdade tira todas as análises, dos mais diferentes contextos do mundo, em tempo real, sem que pudesse contar com a visão dos caros ajudantes. Corrijo: Extraia a palavra, “caro”, para não revoltar* a ambos.

*Nota: por motivos de punição, a carestia e os dois estão um pouco atrasados em seus direitos trabalhistas, mas a gente tá guardando os créditos e, se não quitar neste mundo, assim que eles morrerem de novo, como a maioria aqui, lá no céu, o Pai paga.

Caspite!

Só agora preciso tomar cuidado. Não ficar falando pra eles ir lá pra Catuípe, dizer que lá tem água mineral de você poder tomar banho frouxo todo o sábado, n’agua grátis e sem veneno que rola e flui frouxo por todo canto daquela terra bendita.

Desde que soubemos que por lá tem uma tal de Liberdade, que fala pelos cotovelos e que todo mundo houve, o Sepé anda meio que se engraçando, se fazendo de tatú-faqueado, sorrindo da própria sombra e, assombrando seu companheiro Tiro, pouco afeito devido à vida na mata, às coisas do coração.

Enviados para o México, para cobrir a retirada de Evo, Tiro Fijo que conhece como poucos aquela parte das matas americanas, deixou aí o Sepé cuidando quem chega, vestido de fidalgo espanhol a sua casa, “discosta”, pra fazer de contas que está lá, de olho em quem sai levando tudo ou, ao menos uma abraço desta terra de Deus e do São Miguel.

0 81

No município de Caibaté, a imagem do povo comemorando a Semana destinada a homenagear a Pátria amada, o Brasil

Na ocasião, também deu-se início as festividades da Semana Farroupilha, que acabou sendo outro grande sucesso de participação popular e quando foi anunciado grandes projetos para o CTG Sentinelas do Caaró e para a Comunidade, como condições mais facilitadas à possíveis sócios com renda menor…

0 110

 Ainda ontem andando pela região do interior do nosso município missioneiro – S.M.M. -, pensativo com as dificuldades encontradas nas sobrevivência no campo, me deparei mais uma vez cruzando despercebidamente na frente de uma velha construção abandonada e, chegando mais perto, para analisar a situação das benfeitorias dos prédios, vi que ali ainda existe resquícios de um local que antigamente existia um povo comunitário que desfrutava tanto daquele então dinâmico espaço.

Chegando mais perto, temos àquelas imagens antigas de construções que ao longo do tempo foram se degradando e perdendo seu valor e, passando despercebida se torna algo que o tempo está prestes a fazer desaparecer.

No local ainda resiste a pequena escola, com espaço interno não superior a 30m a 35m² onde não só o padre rezava à missa, bem como servia de local de festividades, como a dança e a briga de facão. As vezes, quando a vela apagava e à noite, o facão era substituído pela foice e depois falava o “schmitão”, espaço construído há pelo menos 3 décadas quando o atual município, de São Miguel das Missões, ainda fazia parte de outro, o município mãe de Santo Ângelo.

Também fazia parte, área de lazer, como cancha-de-bocha, campo para prática de futebol e vôlei e outros, caracterizando ali como espaço importantíssimo para a comunidade local interagir, desenvolver encontros religiosos, familiares…

Também neste local, encontrava-se depositado equipamentos e máquinas de diferentes utilidade destinado ao uso comunitário, na atividade agrícola, tais como: Triturador de milho, panelas, enxada, foice, resfriador para o leite, pulverizador costal, ……. alguns desses acabaram desaparecendo para sempre ou, foram remanejados para outros locais.

Hoje no presente em que vivemos, só restaram estes velhos prédios que com o futuro haverão de cair e desaparecer, uma vez que desde suas construções, até os dias atuais, nunca foram consertados, que dirá conservadas.

 

*A Padaria Noroeste prestigia o LOJ!

 

Mas hoje nos perguntamos: Onde está àquela comunidade ativa que hoje parece não existe mais?

O que será do futuro de nossos interiores, da vida dos nossos vizinhos, amigos, dos vestígios de nossa infância, nossa vida em família e interagindo com famílias, riquezas que vamos perdendo.

Já que recordar é viver novamente, chegamos à conclusão: Se lembrar de antigamente, onde tínhamos torneio de futebol entre comunidades vizinhas, somado com àqueles bailões de interior, da prosa ao pé do ouvido onde, local onde o salão sempre estava cheio e no entorno o povo se deliciava trocando informações e se divertindo.

Ali fora, hoje matagal, à época grama crescia pouco, de tantos amassos e gente amassada pela falta de espaço na pequena sala, contando com muitas diversões e aquelas brigas típicas de final de festas. Lembro até de meu vizinho – o Rodrigo, com um balde de lata onde vários gatos recebiam seu cuidado, dando-lhes uma mamadeira a cada hora e meia para que suprissem a ausência inesperada da mãe..

Se de noite era mais escasso a presença da ‘Gloriosa’ de farda, de dia seguida era convidada a acalmar os ânimos de algum retovado ansioso e movido pela testosterona que lhe fugia pelos remendos das bombachas.

Agora, já não é mais no interior que se vê isso.

Em praticamente todas, no interior, só se vê abandono e solidão total.

A capoeira tomando conta de um local que antigamente era de todos nós.

Todos estes acontecimentos tem grande influência do avanço tecnológico e do sistema de produção, que vem a cada pouco, se modernizando, onde busca-se maior produção por unidade de área e a redução de custos.

Nossos interiores não resistiram por falta de políticas agrícolas adequadas e que por tal, levassem em conta o melhor para a vida de nosso próprio povo.

Veio o lavourão, acabou-se nossos reinos encantados. Nele, no lugar dele, a tal da produtividade, tão necessária…

Onde, em uma pequena fração de área agrícola morava-se e tirava-se o sustento de uma grande família que, com trabalho braçal e troca de serviços entre vizinhos, se gerava riquezas tantas e inestimáveis.

Hoje, praticamente tudo sendo substituído por máquinas cada vez mais eficiente com o propósito de produção de commodities ou mesmo, grandes setores especialistas em produção animal e vegetal.

Para estes pequenos agricultores restando ter que vender sua área de terra para o lindeiro que vem comprando de todos e indo-se colocar em uma parte da cidade onde seu capital consiga lhe oferecer. Daí, grande número destes com a idade, esperam por uma aposentadoria e, a outra parte, tem que achar uma forma de sobreviver.

Caminhando por nossos interiores, ainda vimos alguns que ainda resistem e permanecem no campo.

Alguns destes, sem conseguir evoluir, mesmo assim lá permanecem até o fim. Como que se negando a dar-se por vencido, desafiando uma ameaça que lhe lapida dia após dia.

Por outro lado, parte deles passa a tentar “comer um ao outro”, para atender as novas demandas do sistema.

Não podemos culpar agricultores que compraram a terra dos menores, fazendo eles irem embora para a cidade.

A verdade é que somos todos coordenados por um sistema que força à produção em escala, com uma redução de custos cada vez maior. Somando isso à tecnologia cada vez maior, assim foram desenvolvendo uma competição entre os próprios setores agrícolas, forçando a desaparecer a pequena propriedade.

Também nossa comunidade, Urubucarú /Ataídes, é composta na grande maioria dos casos, de pequenos agricultores e, os mais apoderados, envolvidos com seus objetivos de ganhar mais e mais dinheiro ou atender a seus afazeres, – quando não tentam ainda apagar os últimos vestígios dos remanescentes locais, mostram-se incapazes de motivar à comunidade local, de uma forma ou de outra a construírem para si uma teto por suas cabeças para eventuais encontros comunitários.

Também se soma, pelo número pequeno de votos que a comunidade oferece, o descaso posto do poder público do município que há décadas enrola à comunidade prometendo fazer um galpão que fosse e, nunca, nada acontece.

É triste a realidade que sobra em nossos interiores, onde cada vez um menor número de pessoas se deparam vivendo alí. Espaço em que cada vez se tem menos tempo e, a felicidade vem sendo trocada pela solidão, pelo carro ou máquina a mais bonita e potente.

Chegamos à época que um único agricultor/empresário, será o dono de vastas extensões da terra que até há poucos era de Deus e de todos nós.

Tecnologias robóticas, mecânicas, desde o preparo do solo até a colheita. 

Não somos mais humanos, somos máquinas, infelizes, um a devorar ao outro, a espera que um dia, algo, quem sabe a morte prematura, nos faça parar; pra pensar… no que estamos fazendo com nós mesmos!

                           Jean Sartori     

0 79

Os gaúchos de São Miguel são afeitos a uma boa cantoria. Adoram quando encontram alguém com ouvidos para lhes dar ouvido.
Nestes espaços, a alegria resplandece no semblante dos viventes que passam a sorver água maltada com mais volúpia do que de costume.
Houve época, que o produto oriundo da canha era que lavava as tripas da gaúchada, mas como a bebida é considerada forte e até faz mal para a saúde se sorvida em grandes quantidade, hoje as opções consideradas são bem mais leves.
Roger é um humorista de primeira e, imita com maestria o Gaúcho de Bagé, fato que tem permitido a este jovem crescer em respeito e consideração pelo seu bom trabalho. 
Sorte ao Roger!

0 97

O trator, com comando na parte dianteira, deverá executar serviço de roçamento de capoeiras na área urbana do município.
Máquina ainda desconhecida para alguns, a mesma impulsiona através do comando na máquina uma espécie de mesa em circunferência que tem preso a si vários “pedaços” de espias de aço.
Como gira em alta rotação, a imaginação nos leva à crer que deverá triturar tudo o que se apresente pela frente em termos de capoeiras, gramados e, atirar paus, pedras pra tudo quanto é lado.
Embora se saibam que as “navalhas” sejam flexíveis, pode-se imaginar que não são elásticas, ou seja, uma vez torcidas ou “quebradas”, terão que ser substituídas as peças avariadas para não comprometer o resto da estrutura da geringonça que já recebeu o apelido de “escovão da prefeitura”. Também pode que apresente um outro problema, não desejado.
Salvo haja uma flexibilidade no suporte que arca com a “roçadeira”, em espaços inclinados pode que precise de ajuda para inclinar o aparelho todo, para que a roça aconteça de forma uniforme. Além, claro, do imaginado temor por quem eventualmente se aventurar perto da mesma quando em funcionamento, de que possa ser atingido por algum projétil, coisa que o prefeito garantiu a nós não haver o risco; nem para veículos pois, segundo ele, “não terá como passar a roçadeira onde os veículos estejam estacionados próximo ao meio fio.

Mais, leia na ed escrita do LOJ

0 141

 

Iniciadas vendas de passagens para os passeios do Trem das Missões
A secretária municipal de Cultura, Neusa Cavalheiro, informou que já iniciaram as vendas dos bilhetes de passagem para o roteiro turístico “Trem das Missões: um reponte pelas etnias”, que acontecerá nos dias 20, 21, 22 e 28 e 29 de setembro, entre os municípios de Santo Ângelo, Catuípe e Ijuí. O percurso será feito pela Maria Fumaça Mallet 204, locomotiva que esteve em Santo Ângelo durante o Programa Natal nos Trilhos, inserido na Programação do Natal Cidade dos Anjos.
 
As passagens estão à venda na loja Perfil Moda Feminina (Rua 25 de Julho, 264), na Idealize Design (Rua Marquês do Herval, 1045) e pelo site www.ihtur.com.br ao preço de R$ 70 para adultos e R$ 66,50 para crianças maiores de cinco até dez anos. Crianças menores de cinco anos não pagam passagem, desde que não ocupem assento.
 
Nos cinco dias de passeio a Maria Fumaça terá o seguinte itinerário:
8 horas – Saída da Estação do Bairro São Pedro com destino a Catuípe – 32 quilômetros com tempo previsto de 2h30min. Previsão de chegada 10h30min, com retorno de ônibus para Santo Ângelo.
 
11 horas – De Catuípe a Ijuí – 23 quilômetros com tempo previsto de duas horas – 13 horas, transporte de retorno para Catuípe
14 horas – Ijuí a Catuípe
16h30min – Saída de Catuípe com destino a Santo Ângelo, com chegada às 19 horas, na Estação ferroviária do Bairro São Pedro, onde haverá uma série de atrações culturais.

O roteiro turístico “Trem das Missões: um reponte pelas etnias” é uma parceria do Ministério Público Federal, da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), e das prefeituras de Santo Ângelo – por meio da Secretaria de Cultura -, Ijuí e Catuípe. 

0 178

Sabe qual é a única pessoa que pode te impedir de viver perto de Deus e de conquistar tudo aquilo que Ele quer para a sua vida? Você. Não é aquela pessoa que faz questão de ser uma pedra no seu sapato, não é o patrão que não te dá oportunidades, nem mesmo o diabo.
Quando nós temos o desejo genuíno de nos aproximarmos de Deus, nada nem ninguém pode nos afastar d’Ele! Apesar disso, existem algumas atitudes erradas que nós podemos ter e que nos afastam de Deus e da Sua vontade para nós. Evite os seguintes comportamentos se você quer ficar bem perto de Deus!
Preguiça
Deus é um Deus de ação e por isso Ele se alegra quando vê que damos passos de fé e estamos prontos a agir. A Bíblia fala claramente contra a preguiça e o mal que ela pode causar nas nossas vidas. A preguiça não prejudica apenas o nosso desenvolvimento pessoal e financeiro, mas pode ser fatal para a nossa vida espiritual. Por exemplo, a preguiça pode nos impedir de orar e de ler a Bíblia, o que nos deixa frios espiritualmente, ou seja, mais distantes de Deus. Faça um esforço, estabeleça um plano e separe um tempo para orar e ler a Palavra. Não é sábio querer começar orando e lendo a Bíblia durante 2 horas, mas comece com 10 minutos por dia e vá aumentando aos poucos. Com o passar do tempo, Deus vai trabalhar na sua vida e você vai se sentir mais forte e mais perto d’Ele.
Fofoca
A fofoca é falar sobre aspetos da vida de uma ou mais pessoas sem o seu consentimento. Pode ser revelar segredos de alguém ou até mesmo inventar histórias sobre outras pessoas. Essa atitude normalmente causa discórdia e desunião entre as pessoas, e por isso é um pecado perante Deus. Por esse motivo, a Bíblia nos adverte a não fofocar e a evitar pessoas fofoqueiras. Mesmo que uma pessoa esteja cometendo um erro, falar sobre isso nas costas com outras pessoas não vai ajuda-la nessa situação. Deus conhece a intenção do nosso coração e, se queremos realmente ajudar, podemos falar diretamente com a pessoa, ou então simplesmente orar por ela. Se as nossas palavras não servem para edificar, é melhor não dizer nada (Efésios 4:29).
Inveja
A inveja é uma das obras da carne que são descritas em Gálatas (Gálatas 5:21), o que significa que é um pecado e que devemos eliminar das nossas vidas se queremos viver perto de Deus. Ter inveja de alguém é querer ter algo que não é nosso, e isso muitas vezes causa um sentimento de desgosto quando alguém é bem sucedido em determinada área da sua vida. Um dos segredos da felicidade (e a melhor forma para combater a inveja) é o contentamento. Devemos dar graças a Deus em todas as circunstâncias e não cobiçar as conquistas dos outros. Isso não significa que você não deve lutar para melhorar as suas condições de vida, mas que você tem que aprender a glorificar a Deus mesmo quando as coisas não correm do jeito que você gostaria (Habacuque 3:17-18).
Egoísmo
Alguém já te disse: “O mundo não gira à sua volta”? Se a resposta é sim, provavelmente você estava tendo um comportamento egoísta. O egoísmo faz com que pensemos apenas em nós próprios e não nos preocupemos com aqueles que estão à nossa volta.
O oposto de egoísmo é altruísmo e Jesus é o maior exemplo altruísta que podemos ter. Ele não pensou n’Ele próprio, mas pensou em cada um de nós, tendo ido até à cruz, onde morreu pelos nossos pecados, reconciliando com Deus todos os que acreditam no Seu sacrifício. A Bíblia nos confronta a amar os outros como a nós mesmos (Mateus 22:39) e a considerar os outros superiores a nós. Mas para isso acontecer, temos que amar a Deus em primeiro lugar e deixar que o Seu amor perfeito transforme as nossas vidas, eliminando todos os vestígios de egoísmo.
Ganância
A Bíblia é muito clara: o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (1 Timóteo 6:10). Algumas pessoas interpretam erradamente esta passagem bíblica, dizendo que “o dinheiro é a raiz de todos os males”. Mas ter dinheiro não é o problema. O dinheiro é algo neutro: pode ser usado para fazer coisas boas ou más. A Bíblia fala de vários homens com temor a Deus que eram bastante prósperos em termos de bens, como Jó e Abraão. O problema é quando nós amamos o dinheiro em primeiro lugar e não a Deus.
O próprio Jesus disse que não é possível servir a Deus e ao dinheiro. Quando nós amamos o dinheiro, Deus perde a importância nas nossas vidas. Algumas das maiores atrocidades cometidas neste mundo são cometidas por causa do amor ao dinheiro.
Ame a Deus acima de todas as coisas e não deixe o dinheiro controlar a sua vida e sentimentos e dessa forma você estará mais próximo de Deus.
Ira descontrolada
Um momento de descontrole e ira pode ser suficiente para destruir vidas, a sua e a de outras pessoas. A ira em si não é um pecado, porque a Bíblia diz que é possível nos irarmos sem pecar. Há momentos na nossa vida em que é normal nos irarmos com alguma situação. Até Jesus se irou quando viu que os mercadores faziam negócio na casa do Seu Pai.
O grande problema é quando a ira vem de forma prolongada e descontrolada. Quando a ira controla a nossa vida, nos afastamos de Deus. A mansidão é um dos aspectos do fruto do Espírito e através dela nós podemos impedir que a nossa ira se transforme em pecado.
A Palavra de Deus manda que sejamos pacificadores e mansos com as pessoas à nossa volta.
Imoralidade sexual
O nosso corpo é o templo do Espírito Santo e quando praticamos algum tipo de imoralidade sexual estamos pecando contra o próprio corpo, profanando a moradia do Espírito Santo.

0 177

Recebi nesta segunda-feira (22/07), em nome do CTG Sentinelas do Caaró o Diretor de Cavalgadas da 3ª Região Tradicionalista, Conrado Henrique de Mattos, juntamente com um dos responsáveis pela organização das Cavalgadas e integrante da Invernada Campeira da nossa entidade, Antônio Sérgio Lopes da Silva o Brizola, para tratar da programação de recepção da Chama Crioula em Caibaté.
Segundo o Diretor Conrado de Mattos que há 15 anos vem Coordenando as Cavalgadas da 3ª Região, a geração da Chama Crioula 2019, acontecerá dia 16 de agosto no Município de Tenente Portela, sendo que a cerimônia de distribuição da Chama acontecerá no dia 17 de agosto, onde as 30 Regiões do Movimento Tradicionalista Gaúcho estará recebendo a Centelha da Chama Crioula dos Festejos Farroupilha 2019, do local onde foi morto pela Coluna Prestes o Tenente Portela. A partir do recebimento da Chama começa a Cavalgada que percorrerá vários municípios até chegar aos locais em cada Região de onde será distribuída a Chama para os CTGs.
Na sexta-feira dia 23 de agosto a Cavalgada pernoitará no Clube União da Rondinha, Mato Queimado, logo após o café da manhã do dia 24 a Cavalgada segue para Caibaté, onde um grupo de Cavalarianos do CTG Sentinelas do Caaró irá acompanhá-los até a AFUCER, onde ficarão hospedados durante o almoço, janta e pernoite. 
Já às 18h45min do dia 24 de agosto, com a presença de Invernadas Artísticas da 3ª Região Tradicionalista que estarão em Caibaté para o grande Encontro de Invernadas, a Patronagem do CTG Sentinelas do Caaró, recebe a Cavalgada da Chama Crioula e para isso convidamos Autoridades, Associados e comunidade para prestigiar a Cerimônia de recebimento da Centelha da Chama Crioula que ficará a disposição de outras entidades que queiram buscar no Sentinelas do Caaró.

Texto: Valdir Veloso.