Você já ouviu falar  em …..
“A LUTA DOS PREFEITOS EM DEFESA DO MUNICIPALISMO”, ouviu?

Pra quê mesmo??

A LUTA é por mais dinheiro. O que tem, bem menos dos 10% do que gastam – para espanto da população – agora, após 2018 anos, no nosso caso, informada por eles. Melhor, por traíras deles, o Guedes.
O resto vem do que nós, o povo, mandamos para os outros governos – Estado e União.
Os prefeitos alegam, e tem razão, em dizer que o dinheiro que tem, o somatório total do que passa por suas mãos, é cada vez menos  que o suficiente para fazerem o que gostariam “PARA O BEM DE SUAS COMUNIDADES” e, até investimentos necessários e que precisariam realizar.

                 Diante disso, é mister lembrar da relação:
“O aumento dos gastos com o setor público praticado pela classe política, é praticamente superior ao aumento dos recursos extraídos da população para enfrentamento da equação, o que os governos – no caso municipal – necessita em volume de dinheiro está se expandindo em relação inversa ao que a sociedade tem sido capaz de dar, para equacionar os interesses. Ou seja, as prefeituras gastam mais do que podem. Incham, se avolumam…. acabam sucateando, manipulando, explorando, aniquilando à própria sociedade em que estão inserida.
Este desenho-inverso, no qual a prefeitura deveria prestigiar, capitalizar à comunidade, faz invertido e capitaliza-se a si própria. E, os arroubos chegou à tal ponto no país por não temos tão somente prefeituras que enfrentem esta grave situação, mas que criam e alimentam ela e de ter se transformado em um verdadeiro cancro que acaba se instalando dentro das comunidades, principalmente as pequenas e, aí, subjugando sua população após dividi-la em apoiadores ou não a seus interesses.

 

Virou uma farra
Como se não bastasse, a miséria de muitos permite alguns fenômenos muito facilmente visualizado na América Latina:
Como por exemplo, na formação, nestes ambientes, de o chamado Cordão de Sustentação dos Crimes Políticos Não Tipificados (CSCPNT).
No CSCPNT, aí que forma-se, meio que naturalmente, os nichos de bactérias de âmbito público e de âmbito privado e que ajudarão na sustentação do agora “cancro”, diante de um parlamento pobre e de uma Justiça para pobres e que ajudará a perpetuar os arroubos destes loucos. Digo, daqueles loucos. Sim, porque passam a tratar o povo como objeto, mercadoria, alocado de lado a outro conforme seus interesses – econômico-financeiros e, político-partidário tão somente.
*Sobre as bactérias citadas, acompanhe na edição escrita do LOJ.
*Sobre os efeitos da possibilidade de extinção de nome de municípios e seu poderio burocrático, acompanhe no LOJ
*Sobre para onde caminha as atuais prefeituras do Brasil e muitos dos pequenos municípios, leia no LOJ, ed escrita, assine..!
*Sobre escravos e subjugados pelos governos municipais, também, saiba onde estão lendo o Liberdade – O Jornal…

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta